Notícias

Delegado se envolveu em duas situações com disparo de arma de fogo, segundo a Polícia Militar


Brasil Net

O monitoramento do Gabinete de Segurança Institucional levou a equipe de governo a avaliar todas as demandas da categoria

Foto: Reprodução Facebook / G1
Daniel Prestes Fagundes é presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná (Adepol)

O delegado da Polícia Civil Daniel Prestes Fagundes foi conduzido para uma delegacia, em Curitiba, na madrugada de domingo (14), suspeito de envolvimento em duas situações de disparo de arma de fogo. Uma delas atingiu um bombeiro de raspão no braço.

Fagundes é presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná (Adepol).

Segundo a Polícia Militar (PM), a primeira ocorrência envolvendo o delegado foi por volta das 4h30 em um posto de combustíveis entre a Avenida Vicente Machado e a Rua Brigadeiro Franco.

Nesta situação, segundo o Boletim de Ocorrência (B.O.) da PM, uma testemunha relatou que Fagundes foi cercado por um grupo de skatistas que tinha a intenção de agredí-lo. A testemunha disse ainda que, para se defender, o delegado disparou três tiros em direção ao chão.

Na sequência, ainda conforme a testemunha, o delegado parou um motorista de Uber e saiu do local.

Depois disso, na altura da Alameda Carlos de Carvalho, ocorreu a situação envolvendo o bombeiro. A vítima relatou no B.O. que estava em uma rua esperando um Uber, quando Fagundes passou de carro e ordenou que ele corresse.

Ele disse que, ao sair correndo, o delegado Fagundes efetuou os disparos na direção dele. O tiro acertou o braço direito do bombeiro e ele não precisou de atendimento médico. O bombeiro disse ainda que o autor dos disparos estava "transtornado".

Na sequência disso, ainda segundo as informações do Boletim de Ocorrência, Daniel Fagundes entrou em uma casa noturna, saiu pela porta de emergência, e se hospedou em um hotel.

Pouco tempo depois ele foi localizado pela PM e encaminhado para a Central de Flagrantes, no Centro, em um carro do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope). A arma que ele usava, uma pistola calibre 40, foi apreendida.

Em nota, a Polícia Civil disse que o disparo de arma de fogo teria ocorrido em direção ao chão, sendo que o estilhaço veio a atingir acidentalmente de raspão o braço do oficial que estava próximo. "Todos os fatos envolvendo o servidor, ocorridos nesta madrugada, serão apurados. Irregularidades, caso verificadas, serão punidas de acordo com a legislação vigente", diz a nota.

Após prestar os esclarecimentos, não houve prisão em flagrante. O delegado foi liberado e os fatos serão esclarecidos no inquérito policial.

A Associação Acompanhará o desenrolar dos fatos".

 


Fonte: *Redação Cornélio Notícias, com informações do G1 PR
Novidades Faccrei



Comente utilizando seu facebook