Notícias

Fortes chuvas danificaram 3 mil casas e derrubaram mais de 900 postes em cidades do Paraná


Brasil Net

Os ventos de mais de 70 km/h causaram um óbito, 154 desalojamentos e mais de 3 mil casas danificadas

Foto: Defesa Civil do Paraná©
Os municípios ainda registram falta de água ou de energia elétrica

A segunda-feira (25) após o pior temporal da história do Interior do Paraná segue com muito trabalho para os eletricistas da COPEL, os técnicos da SANEPAR e as equipes da Defesa Civil. Os ventos de mais de 70 km/h causaram um óbito, 154 desalojamentos e mais de 3 mil casas danificadas. Também foram mais de 900 postes derrubados, 7.300 emergências atendidas e diversos municípios ainda registram falta de água ou de energia elétrica.

Segundo a COPEL, a maior parte dos circuitos de baixa tensão do Oeste e do Sudoeste já foi restabelecida, e restam aproximadamente 18 mil unidades consumidoras que ainda estão sem energia em decorrência do temporal. Os municípios com maior número de consumidores desligados são Medianeira e São Miguel do Iguaçu. Ramilândia, onde o fornecimento já havia sido restabelecido, sofreu novo desligamento e está com quase 70% dos domicílios sem energia.

Até o momento, a COPEL atendeu cerca de 2,5 mil ocorrências de falta de energia nessas regiões envolvendo principalmente situações de postes quebrados, cabos rompidos e árvores caídas sobre a rede elétrica. Restam quase 2,7 mil ocorrências para atendimento. A região já soma 275 postes quebrados. Os quase 680 eletricistas e técnicos em serviço na manhã de hoje seguem empenhados em restabelecer o fornecimento de energia para todos o mais rapidamente possível.

A região Norte chegou a ter 133 mil unidades consumidoras desligadas, no auge do temporal. Nesta segunda, há aproximadamente 20 mil unidades consumidoras sem energia. A conta de postes quebrados na região chega a 257.

Alvorada do Sul foi o município mais prejudicado pelo evento climático em termos de fornecimento de energia, interrompido praticamente por completo desde o temporal. O município tem duas fontes de alimentação, e em ambas há equipes de obras atuando na reconstrução das redes, que tiveram ao menos 26 postes quebrados. Em Londrina, há 4,5 mil domicílios sem energia, e em Ibiporã, 2 mil.

A região Noroeste foi a mais severamente atingida, e a conta de postes quebrados já chega a 392 estruturas. Nesta segunda-feira, a prioridade é concluir a religação dos municípios que estão com o fornecimento interrompido devido ao temporal, todos devido ao alto número de postes quebrados em suas fontes de alimentação: Terra Rica, Santa Inês, Ourizona e São Jorge do Ivaí.

Terra Rica é o caso que inspira maiores esforços, pois há 54 postes quebrados nas duas fontes de alimentação da cidade. Aproximadamente 50 trabalhadores atuam nesta contingência. Em Mirador, Amaporã e Colorado, os circuitos internos de distribuição de energia foram bastante danificados, e equipes de emergência e manutenção trabalham em conjunto para religar os consumidores com a maior brevidade possível.

Na região de Umuarama, a linha entre o município e Xambrê teve 23 postes quebrados. Enquano Xambrê é alimentada por uma fonte alternativa, um verdadeiro mutirão com cerca de 30 eletricistas está no local desde ontem, e deve concluir a reconstrução da rede ainda hoje. O município de Maringá possui, no momento, 10 mil domicílios sem energia elétrica.

Eletricistas das regiões Leste e Centro-Sul dão auxílio nos trabalhos nas regiões mais atingidas, somando um contingente de 1.600 eletricistas na linha de frente. Desde o início do temporal, já foram atendidas 7.300 emergências em todo o Paraná.

CN INSTITUCIONAL


Fonte: Redação CN Notícias, com informações da Agência Estadual de Notícias